Aliança de organizações anuncia plano de ação em defesa da floresta e de seus povos

COLETIVA DE IMPRENSA ON LINE, QUARTA-FEIRA, 5 DE AGOSTO, 12h (horário de Brasília)

Em coletiva de imprensa online, na próxima quarta-feira, 5 de agosto, representantes da Assembleia Mundial pela Amazônia anunciarão um plano de mobilização internacional para por freio à devastação da floresta – principalmente às queimadas, mas também ao garimpo, à mineração, à criação de gado e à exploração petrolífera – e pela saúde de seus povos, brutalmente afetados pela Covid-19.

O plano Mobilização Mundial contra as Queimadas e a Destruição da Amazônia tem início com jornadas de denúncia e exigência de medidas imediatas por parte dos nove governos dos países pan-amazônicos, entre os dias 14 e 28 de agosto.

As jornadas de mobilização estão sendo convocadas por meio do Manifesto Amazonizar-se (anexo), que diz: “Os incêndios e o extrativismo (das minas, madeireiras, garimpos e petróleo) são alimentados pela cobiça, o egoísmo, a rapina, a soberba das corporações, o autoritarismo dos estados e empresas – e por todos os atores que promovem as queimadas para expoliação dos recursos da Amazônia”. O apelo também é dirigido a governos e organizações internacionais, para pressionarem as autoridades e corporações da região contra as queimadas e as atividades depredatórias.

O plano de mobilização

Na sexta 14/7, numa iniciativa focada em redes sociais e mídia da macrorregião, vai se chamar a atenção para as queimadas – cuja temporada está começando e têm acelerado brutalmente o desmatamento nos últimos anos – e convocar a constituição de Comitês pela Amazônia nas cidades. A partir disso, até o dia 28, serão chamadas manifestações em todo o mundo: tuitaços, vigílias em frente de embaixadas, concertos, arte de rua, performances, webinares informativos, vídeos, ações para pressionar governos e parlamentos, mobilizações presenciais e virtuais e muito mais. Tudo para culminar num grande dia pela Amazônia em 22 de setembro – como parte da Semana Mundial pelo Clima.

A Assembleia Mundial pela Amazônia aconteceu entre os dias 17 e 19 de julho, com mais de 3.500 inscritos e 600 participantes. Fazem parte da Assembleia a Confederação de Organizações Indígenas da Bacia do Amazonas (Coica), o Fórum Social Pan-Amazônico (Fospa), a Rede Eclesial da Pan-Amazônia (Repam), e a Coordenação das Iniciativas Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), além de de 220 organizações que representam povos indígenas, quilombolas, ribeirinhos, seringueiros, camponeses, artistas, religiosos, ambientalistas, comunicadores e habitantes das cidades amazônicas.

Estarão na coletiva:
– Gregorio Mirabal, Coordenador-geral da COICA
– Moema Miranda, pela REPAM
– Nilde Sousa, pela FOSPA
– Pablo Solón, na apresentação

#Amazonízese
#AmazoniaViva
#AmazoniaSinExtractivismos
#AmazoniaSinQuemas
#AmazoniaSinMercurio
#AmazoniaSinAgronegocio
#AmazoniaSinGobiernosEcocidas

Saiba mais no site: www.asambleamundialamazonia.org.
e/ou em:
https://twitter.com/asambleamazonia
http://www.instagram.com/asamblea_mundial_amazonia/
Para contato: manifembleamazonica@gmail.com.

A <span>%d</span> blogueros les gusta esto: